Felipe, você deve morrer

Nu sai do ventre de minha mãe e nu voltarei; o Senhor o deu, e o Senhor tomou; bendito seja o nome do Senhor” (Jó 1.21).

Todas manhãs, Felipe da Macedônia, recebia de um de seus escravos esta noticia: “Felipe, você deve morrer”. O rei macedônico entendia com sabedoria a importância de estar vivo. Para Felipe as manhãs eram a confirmação da vida. Ele regozijava-se cada manhã, pois, vivia o sol brilhante, o orvalho da manhã, o ar lívido e gostoso, o vento na janela, o calor da companheira e a voz de seu escravo lembrando-lhe: Felipe, você deve morrer. Sim, ele estava vivo e celebrava a vida lembrando-se desta verdade universal. Apesar de ser rei, um dia, e poderia ser aquele dia, ele morreria.

Apesar de toda ciência, da medicina estar em estado avançado, de tratamentos cada vez mais felizes e da prevenção mais eficaz todos vamos morrer.

A escolha é nossa então de aproveitar ou não a vida. Viver é saber que iremos morrer. Num acidente de carro terrível, nesta semana, um jovem de 17 anos perdeu a sua vida. Um pastor visitou a sua família. O pedido de sua mãe foi: “Pastor, o senhor pode trazer meu filho de volta?”. Imagino se naquela manhã, aquele bom menino acordasse e dissesse para si: Hoje você deve morrer. Que cuidados ele tomaria durante o dia? Será que teria corrido tanto dirigindo aquela máquina da morte? Será que aproveitaria mais a vida, prevenindo-se da morte, sem perder a oportunidade de viver?

São muitos os que estão mortos em vida, não dão valor ao presente de nosso Pai. Vivem como se hoje fosse o último dia, mas não entendem que viver o último dia é necessariamente viver a certeza da salvação. Viver o último dia é dar importância aos seus pais e queridos que ficam. Viver o último dia é não ser irresponsável, viver o último dia é curtir a manhã, aproveitar a tarde, e descansar quando a noite chegar. Viver o último dia é amar a Deus. Viver o último dia é dizer a todos que você os ama. Viver o último dia é sorrir, brincar, orar, abraçar, chorar com os que choram, é ir à luta, é vencer seus desafios, é não morrer de ansiedade, de medo, de maduro, de antecipação, é estar com Deus. Assim, seu último dia, se Deus quiser, não será seu último dia.

Oração: Pai amado, sei que devo morrer. Mas hoje, faço a escolha de viver todos os últimos dias de minha vida na tua presença. Aproveitando o teu amor, os teus presentes, a tua presença. Viverei a salvação do teu Filho Amado Jesus, todos os dias de minha vida e, quando acordar, lembrarei, que estás comigo.