O Senhor Proverá – Parte 1

“Abraão! Abraão!” … “Não estendas a tua mão sobre o moço, e não lhe faças nada; porquanto agora sei que temes a Deus, e não me negaste o teu filho, o teu único filho” (Gênesis 22:11a-12).

Uma das histórias bíblicas mais importantes e interessantes para mim e citada sempre quando se fala sobre a fé está registrada em Gênesis, no capitulo 22. A fé de Abraão é testada naquilo que é considerado mais extremo. Deus ordena Abraão a sacrificar seu único filho Isaque.

Agora que sou pai, posso entender a enormidade do esforço, da dor e do sofrimento de Abraão. Primeiro no momento em que Deus o ordena a fazer o sacrifício. Mais ainda na antecipação do momento durante a viagem para o local de sacrifício. Isaque chega a perguntar: “Eis aqui o fogo e a lenha, mas onde está o cordeiro para o holocausto?” (Gênesis 22:7). Abraão responde: “Deus proverá para si o cordeiro para o holocausto, meu filho” (Gênesis 22:8).

Apesar de todas as discussões sobre o que estava acontecendo na mente de Abraão, pois pela fé ele já tinha certeza de que Isaque seria devolvido vivo (Hebreus 11.19) ou de que Deus providenciaria um cordeiro para substituí-lo, não posso deixar de pensar na dor que ele sentia só pela possibilidade de ele mesmo fazer seu filho sofrer ao ter uma faca enfiada em seu corpo.

Imagino a cena de Abraão ao amarrar seu filho e colocar sobre o altar. O suor descendo pelas têmporas, os olhos cheios de lágrimas ao levantar o cutelo, as mãos tremendo, o coração em dor ao olhar nos olhos do filho assustado por não entender o que estava acontecendo. É aí que Abraão ouve um brado: “Abraão! Abraão!” e a ordem para parar.

Imediatamente, a tensão e a dor se transformam em alívio e alegria. O cutelo cai batendo sobre as rochas e as lágrimas agora são de alegria. Abraão abraça o seu filho e o beija repetidamente louvando a Deus: “Obrigado, Senhor! Obrigado!”.

Vamos considerar duas coisas nessa história em dois dias diferentes. Em primeiro lugar a ordem de Deus para o sacrifício de Isaque. Isso deve ter causado uma dor enorme no coração de Abraão. Talvez você hoje esteja sentindo uma dor enorme em seu coração trazido pela possibilidade da perda de algo ou alguém e tudo parece estar se desfazendo:

– Você se esforça para seu um bom marido ou esposa, mas seu casamento está se desfazendo.
– Seu trabalho e economia de muitos anos se desfazem na crise financeira.
– Você se esforça para ajudar uma pessoa e, quando você precisa dela, simplesmente é rejeitado.
– Apesar de ensinar seu filho ou filha durante anos no caminho de Cristo, ele ou ela se afasta da igreja.

Parece que todos os dias, temos que sacrificar as coisas mais queridas de nossas vidas. Isso acontece não porque Deus tem a intenção de que tudo sempre dê errado em nossas vidas, mas porque ele quer que coloquemos TODA a nossa confiança nele. Não importa o que esteja acontecendo à nossa volta. Mesmo que o cordeiro não apareça antes de levantarmos o cutelo. Deus proverá e no momento certo.

Abraão tinha tal confiança, tal fé em Deus porque ele confiou na promessa de Deus. Antes de Isaque nascer, Deus havia prometido que Abraão teria uma descendência incontável através de seu filho. Deus cumpriria sua promessa. Essa fé era tal que em Gênesis 22.5 está registrado: “E disse Abraão a seus moços: Ficai-vos aqui com o jumento, e eu e o moço iremos até ali; e havendo adorado, tornaremos a vós”. Abraão tinha certeza de que não voltaria só.

Ele tinha a certeza de que Deus tem o controle sobre todas as coisas e cumpriria sua promessa. Nos momentos mais difíceis de nossas vidas, podemos ter a mesma confiança de Abraão. Confiança nas promessas de Deus. Seja o que for que esteja sendo sacrificado hoje, Deus transformará tudo para o bem. Através da ressurreição ou de algo totalmente novo. Basta termos toda a nossa confiança depositada somente nEle, não importa o que aconteça.

Veja a parte 2 desta mensagem clicando aqui.