O Céu Ficará Mais Bonito Se Ele Estiver Lá

Pavores se apoderam dele como águas; de noite o arrebata a tempestade” (Jó 27.20).

Muitas vezes somos tentados a sermos maus. Ontem ao sair da igreja um bêbado atingiu meu carro parado no sinal vermelho de um semáforo. Estava com minha esposa, minha cunhada e minha sobrinha, a Gabriela, de um ano e meio. A pancada foi forte. O rapaz bêbado saiu de seu carro e demonstrando descontrole da situação chegou a mostrar sua arma, dizendo querer resolver o problema numa boa, e “pedindo” que não chamasse a policia visto estar altamente alcoolizado e com a carteira de motorista vencida e o pior de tudo: ele era um policial.

Ao chegarmos em casa oramos por aquele rapaz. Pedimos a Deus que o Pai tivesse misericórdia dele. Pedi a Deus para que eu tivesse a oportunidade de abraçá-lo como meu irmão em Cristo. O céu ficará mais bonito se ele estiver lá.

Zofar, amigo de Jó, fala como Deus, o Todo-poderoso, castiga os homens maus e violentos no capítulo 27 do livro de Jó. No verso 20 ele diz: “Pavores se apoderam dele como águas; de noite o arrebata a tempestade”. Há muitos maus andando entre nós. Os amo, todos. Até porque sou também tentado a ser mau. Não sou bom por mim mesmo, mas o sou por ser temperado e controlado pelo Espírito. Nisto está a minha bondade, em Cristo Jesus. Sem Ele somos maus.

O próprio Senhor Jesus diz que veio para aqueles que são seus, mas os seus não o receberam. Em resumo, foram maus. Mesmo os que se dizem bons, o rejeitaram. Somos tentados na tempestade e na bonança a sermos maus.

Li um livro pequeno que dizia assim:

Capítulo I
“Andei por uma rua. Havia um buraco profundo na calçada. Caí dentro do buraco. Estou perdido. Não tenho nenhuma ajuda. Porém, a culpa não é minha. Vai levar muito tempo para eu sair daqui”.
Capítulo II
“Andei pela mesma rua. Havia um buraco profundo na calçada. Fingi que não vi. Caí novamente. Não posso crer que estou no mesmo lugar, mas a culpa não é minha. Vai levar muito tempo para eu sair daqui”.
Capítulo III
“Andei pela mesma rua. Havia um buraco profundo na calçada. Vejo que o buraco está ali. E, ainda assim eu caio dentro dele. Isso se tornou um hábito. Meus olhos estão abertos. Sei onde estou. A culpa é minha. Vou sair daqui imediatamente”.
Capítulo IV
Andei pela mesma rua. Havia um buraco profundo na calçada. Eu passei de lado”.
Capítulo V
“Fui, por uma outra rua.”

Nunca mais serei mau para com Deus. Não cairei em nenhum buraco da maldade. E quando for tentado a trair meu amado(a), meus filhos, minha empresa ou quando for tentando a passar na rua dos buracos da ignorância, da mentira, da falsidade, do medo, da imoralidade, da iniqüidade, da infidelidade, dos maus tratos, da indiferença, da preguiça, da vaidade, da cobiça e da maldade irei por outra rua. Seguirei meu mestre e salvador, o meu Jesus. Serei chamado por Ele de servo bom e fiel. Andarei em ruas de ouro.

Se passardes por um homem mau, ame-o e perdoe-o, em nome de Jesus. Eles são açoitados por tempestades pavorosas.