O Abismo

Mas graças a Deus que nos dá a vitória por Jesus Cristo” (I Coríntios 15.7).

Se você olhar longamente para um abismo, o abismo também olha para dentro de você”. Essa é uma citação do filósofo alemão Friedrich Nietzsche que chega em boa hora aos meus ouvidos e ao meu coração. Há algum tempo, tenho vivido o sofrimento de muitos. Sinto-me muitas vezes fraco, cansado, choroso e com os ossos e a alma triturados como o próprio salmista Davi se sentiu. Vejo casais sofrendo a perda do compromisso, na maioria das vezes ainda se amando. Vejo pais perdendo filhos, amigos perdendo amigos, traições, choros, iniqüidade, vícios e outros abismos.

Na segunda, antes de ontem, perdemos de forma cruel a Thais, moça linda, filha do Pai amado. Ela foi assassinada com um tiro por não querer entregar uma bolsa. Recebeu um único tiro na nuca e caiu. Ela está com Deus, e nós no abismo?

O que posso fazer?
Olhar o abismo do momento mortal ou olhar o horizonte de lembranças agradáveis, o sorriso e a doçura desta menina?
Olhar o abismo da crueldade ou olhar o horizonte do amor de Deus, de seus pais, de seus irmãos e de seus amigos?
Olhar o abismo da escravidão da dor momentânea ou olhar a o horizonte da certeza que não choraremos mais?
Olhar a o abismo da despedida ou o horizonte da chegada aos braços de Deus?

Nietzsche tinha razão. Se ficarmos olhando demais para o abismo que estamos, ele olha para dentro de nós e toma conta de nosso coração, de nossa vida, de nossas esperanças, de nossas certezas, de nosso horizonte. Por isso, conclamo a todos que sofrem a pararem de olhar para o abismo que estão passando. Ele pode estar olhando para você. Desejando sua alma, seu espírito, seu corpo, sua alegria e sua vida. Sei que é difícil, mas é melhor olhar para o horizonte; olhar para Jesus.

Sinto-me, hoje, mas salvo do abismo. Estou olhando para Jesus. Ele sentiu o seu e o meu pecado. Ele chorou o meu e o seu choro. Ele perdeu a minha e a sua perda. Mas, trouxe luz para nossos abismos.

O salmista Davi em Salmos 130 canta assim “Das profundezas clamo a ti, Senhor, a minha alma anseia pelo Senhor mais do que os guardas anseiam pelo romper da manhã”. Davi não estava mais olhando a circunstância abismal; ele olhava o Deus da sua salvação.

Ore comigo assim: Pai nosso que estás no céu, santificado seja o seu maravilhoso nome. Nome que é sobre todo nome. Nome que é paz para minhas guerras, nome que é vida para minha morte, nome que é caminho para meu caminhar, nome que é luz para minha escuridão, nome que é salvação para o meu abismo. Abro meu coração para ti. Não posso mais viver neste abismo que corroí e me destrói. Quero parar de ser prisioneiro desta dor. Livra-me, Senhor, meu Deus, meu Pai. Estarei olhando somente para Ti. Obrigado por seu amor incontável. Já estou olhando para Cristo, Ele já desceu no abismo, Ele está me tirando do abismo, ficando em meu lugar. Te amo, Jesus!

Pai, obrigado pela Thais e pelo Espírito Santo que está consolando seus pais e irmãos.