Vontade de Desistir

Se eu atender à iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá; Mas, na verdade, Deus me ouviu; atendeu à voz da minha oração. Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha oração, nem desviou de mim a sua misericórdia” (Salmos 66.18-20).

Muitas e muitas vezes em meus momentos de angústia quando não ouvi resposta de Deus às minhas orações, quando vi as coisas piorarem cada vez mais, o desespero e a sensação de solidão se aproximam como um trem de carga desabalado, prestes a passar por cima de mim. Confesso sinceramente, em um momento de angústia, tive vontade de correr, chutar o pau da barraca, desistir. Orar pra que? Esperar por que?

Se olharmos atentamente o salmo 66, vemos algumas coisas que são características desses momentos nos versos 10 a 12: “Pois tu, ó Deus, nos provaste; tu nos afinaste como se afina a prata. Tu nos puseste na rede; afligiste os nossos lombos, fizeste com que os homens cavalgassem sobre as nossas cabeças; passamos pelo fogo e pela água… ”. Não é exatamente assim? O fogo que nos prova deixa marcas. Caímos nas redes colocadas até mesmo por nós mesmos. As pessoas nos pisam, passam por cima de nós. Machucam mesmo sem nos dirigirem um olhar ou palavra, sem nem mesmo saberem que estamos sofrendo. E nos afogarmos em nós mesmos, em nossas lagrimas.

Mas o Salmo 66 é um hino de alegria, de prazer em Deus. É o reconhecimento que em toda a dor e angustia, Deus está no controle, ouve e salva. Os versos 16 e 17 fazem um convite a uma festa: “Vinde, e ouvi, todos os que temeis a Deus, e eu contarei o que ele tem feito à minha alma. A ele clamei com a minha boca, e ele foi exaltado pela minha língua”.

O motivo de alegria é porque “Deus é tremendo nos seus feitos para com os filhos dos homens. Converteu o mar em terra seca; passaram o rio a pé; ali nos alegramos nele” (cf. vs. 5-6). Deus enxuga o mar de nossas lágrimas, nos faz atravessar os rios da morte e da dor para que tenhamos alegria nEle. É certo que somente no céu TODA a lágrima será apagada, mas mesmo assim Ele nos dá alivio já aqui. Jesus disse: “Vinde a mim todos vós que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei” (Mateus 11.28).

Mas há um condicional: “Se eu atender à iniqüidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá”. A iniqüidade é revolta contra Deus. Então eu não posso dar ouvidos à minha vontade de desistir, de correr, de chutar o pau da barraca. “Não se exaltem os rebeldes” (v. 7). Deus não ouve filhos rebeldes, corações orgulhosos, ouvidos fechados à orientação dEle.

Seja a morte, a dívida, a falta do amor de alguém, o filho preso no pecado, o desapontamento, a solidão, a doença ou alguém com doença, tudo isso e qualquer outra dor que você queira colocar aqui e que esteja passando agora. Tudo isso é fogo e água, é gente que nos pisa e machuca, mas Deus usa isso para nos transformar em prata fina. Apesar das aparências, Ele está no controle: “Ele domina eternamente pelo seu poder; os seus olhos estão sobre as nações” (v. 7). Ele permite que tudo aconteça para que sejamos melhores filhos dEle, melhores pais, cônjuges, servos, amigos.

Então, não desista. Não acalente o pecado no seu coração. Essa é uma das condições para que Deus ouça à sua e à minha oração e possamos cantar com alegria: “Louvado seja Deus, que não rejeitou a minha oração nem afastou de mim o seu amor! ” (v. 20 – NVI).

Oração: Deus me perdoe por às vezes ter vontade de desistir. Não quero mais viver assim. Não vou guardar o pecado dentro de mim. Transforma meu coração conforme a Tua vontade e ouve a minha oração. Em nome de Jesus, amém.