Deus Nunca Nos Abandona

Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos eu te gravei; os teus muros estão continuamente diante de mim” (Isaías 49.15-16).

O texto de hoje é uma das mais fascinantes promessas da Bíblia. Ela usa três figuras para mostrar o quanto Deus nos ama. A primeira figura é a da mãe. Em Hebraico, a palavra “ventre” tem a mesma raiz das palavras “bondade” e “misericórdia”. A vida começa no ventre carregada pela bondade e alimentada pela misericórdia.

A bondade e a misericórdia na Bíblia estão relacionadas principalmente ao amor e graça de Deus para com os seres humanos. E a figura maior dessa experiência está no amor infinito de uma mãe. Esse tipo de misericórdia é exatamente como o ventre que protege o feto até o nascimento para que a criança chegue segura ao mundo. Sem as mães não haveria bebês. Da mesma forma que sem Deus, nós não podemos viver ou mesmo existir.

Porém o amor de Deus excede o amor de uma mãe. “Haverá mãe que possa esquecer seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou? Embora ela possa esquecê-lo, eu não me esquecerei de você!” (Isaías 49.15 – NVI). Apesar dos tempos modernos nos mostrarem mães que jogam seus filhos nos lagos, lixeiras e até em esgotos. Deus, contudo nunca abandona os seus, mesmo que de vez em quando nós sejamos infiéis a Ele. Nós aprendemos do amor infinito, paciente e insistente de Deus por nós em toda a Bíblia, a ponto de dar Seu Filho Jesus para morrer em nosso lugar.

Considere agora Deus. Ele chega a ponto de dizer que temos um lugar no coração dele a ponto de marcar nossos nomes nas palmas das mãos dEle. Como aqueles que amam a ponto de tatuarem o nome de seus amantes em seus corpos, Deus faz a segunda comparação: Ele nos ama tanto que diz “Veja, eu gravei você nas palmas das minhas mãos” (Isaias 49.16a – NVI). Nós estamos marcados nas mãos de Deus com uma tatuagem que não se apaga, o amor.

Lembro quando Isabela nasceu. Do primeiro momento que a vi, senti uma alegria e amor que foram diferentes de tudo. O amor de pai. Agora eu era uma pessoa diferente, eu era pai, com certeza, mas não apenas um pai. Eu era o pai da Isabela. Ela marcou e tem um lugar no meu coração que não pertence a ninguém mais. O amor de Deus falhará? Nunca. Nossos pais podem falhar conosco, mas Deus nunca falhará.

A terceira figura do texto é que Ele nos ama tanto que diz “seus muros estão sempre diante de mim” (Isaías 49.16b – NVI). Deus está dizendo aqui que seu amor é tal que como o vigia de uma casa que está sempre observando os muros para guardar a casa de ser invadida, Deus está sempre de olho em nós para nos guardar e proteger do mal.

Quando uma mãe abandona seu filho, isso é considerado um absurdo, mas como vemos nos dias de hoje, isso pode acontecer. O que Deus está dizendo em Isaías 49.15-16 é que tudo e todos podem nos abandonar, Ele, contudo jamais nos abandonará, porque Ele nos ama tanto a ponto de estarmos marcados na “carne” dEle e Ele nos vigia e guarda todo o tempo.

Não importa o quão difícil seja a situação que estivermos passando. Porque não colocarmos nossa confiança no Deus que nos ama desse jeito? As mães podem nos esquecer – afinal são humanas. Mas Deus nunca esquece. Ele nunca nos deixa. Ele nunca vai virar os olhos para o outro lado. Ele sempre trará paz e amor ao nosso coração, mesmo nos momentos mais difíceis. É assim que Deus nos ama. É assim que Deus é e é por isso que devemos colocar nossa confiança nEle.

Oração: Deus, obrigado pelo Teu infinito amor. Quero me render à Tua vontade, sabendo que não sou esquecido, que estou gravado em Tuas mãos e que Tu conheces exatamente os meus problemas e sabes o que eu preciso. Enche o meu coração dessa certeza e do teu amor. Obrigado por Jesus Cristo que morreu por mim e é em nome dele que oro. Amém.