A Época Mais Maravilhosa do Ano

Ele cresceu diante dele como um broto tenro, e como uma raiz saída de uma terra seca. Ele não tinha qualquer beleza ou majestade que nos atraísse, nada havia em sua aparência para que o desejássemos. Foi desprezado e rejeitado pelos homens, um homem de dores e experimentado no sofrimento. Como alguém de quem os homens escondem o rosto, foi desprezado, e nós não o tínhamos em estima. Certamente ele tomou sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças; contudo nós o consideramos castigado por Deus, por Deus atingido e afligido. Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniqüidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados” (Isaías 53.2-5).

Gosto do Natal. Para mim é a melhor época do ano, porque as pessoas estão mais acessíveis e dispostas a se relacionarem. Por todos os lugares vemos as pessoas correndo para prepararem as festas e os presentes de Natal. As musicas nos shopping centers mudam, o visual da cidade se transforma. Para muitos são momentos de alegria. Entretanto não podemos nos esquecer daqueles que terão este Natal marcado não por momentos felizes, mas por perdas. Há aqueles que perderam seus entes queridos e que este será o primeiro Natal em que uma cadeira estará vazia á mesa. Para outros há o desemprego ou subemprego. Há os que estão doentes, os que estão com o coração partido, desapontados e rejeitados para os quais a alegria deste Natal passará distante.

Para esses o Natal será difícil. A terra será inóspita e parecida com um deserto. O vazio e a necessidade estarão em seus corações fazendo companhia à dor e à tristeza.

Foi neste mundo – de vazio, abandono e tristeza – que Deus chegou. Ele não veio protegido por um manto contra a tristeza ou a dor. Deus veio a um mundo onde a pobreza, a violência e a tristeza eram parte de sua existência. José e Maria eram recém casados e pobres. Maria deu à luz ao Messias em um estábulo sujo. Jesus sentiu frio naquela manjedoura e durante os anos que se seguiram. Herodes logo o perseguiu quando mandou matar as crianças abaixo de dois anos de idade. Ele teve seu primo, João Batista, decapitado. As pessoas o rejeitaram e o oprimiram. Jesus teve fome. Ele morreu como criminoso e até seus amigos o abandonaram. As pessoas que acompanharam sua morte foram uns poucos. Quando teve sede ofereceram a ele vinagre. Seu corpo foi perfurado por uma lança. Sentiu a separação do Pai e provou a morte. Ele sabe o que sentimos.

É nesse mundo que Deus chega. Deus chega no meio da dor e do sofrimento, da dúvida e da tristeza, da necessidade e do desapontamento, pois quer morar conosco, fazer um lar em nós com o seu grande e eterno amor. João 1.14 diz que “Aquele que é a Palavra tornou-se carne e viveu entre nós. Vimos a sua glória, glória como do Unigênito vindo do Pai, cheio de graça e de verdade.“. Para aqueles que não têm o Natal como a época mais maravilhosa do ano, Emanuel, DEUS CONOSCO, vem para ser nosso consolo.

É nos momentos mais tristes de nossa vida que Deus chega para nos consolar e mostrar o seu amor por nós. Ele venceu e fez vencedores também a todos aqueles que o receberam.

Muito além das compras e das festas, aqueles que festejam esse período como a melhor época do ano, podem demonstrar a beleza, alegria e celebração dessa época ao estenderem a mão para aqueles que estão no deserto, no frio e no abandono, dando de si mesmas e compartilhando seus corações.

Oração: Obrigado, Jesus, por tua vida e teu sacrifício por mim. Amém.