O Deus Sem Nome

Em tempos de crise, não há maior crise que perder um filho. Quem perde os pais é órfão. Quem perde o cônjuge é viúvo. E quem perde um filho, como podemos chamar?

Temos recebido pedidos de oração de queridos e queridas que perderam seus filhos. Como poderemos denominá-los? Alguns autores falam que eles são os que sofreram a dor sem nome. Sim, a sua dor é tão aguda e profunda que não tem nome. Não há um nome para tamanha desordem, porque não é algo natural. Natural seria irmos primeiro que nossos filhos.

No Filme o Poderoso Chefão III, numa cena antológica, O ator Al Pacino, no papel que o tornou famoso, grita grito sem som, tendo nos braços o corpo de sua amada filha. É ao auge da dor cinematográfica. Dor que comove e emociona, que faz perder o equilíbrio e até o próprio nome.

Recentemente uma menina de 15 anos faleceu na viagem no avião de retorno a Disney. Os pais, felizes por estarem realizando o sonho de sua princesa, esperavam com ansiedade no aeroporto a chegada daquela que com risos e abraços, contaria belas histórias sobre a viagem de seus sonhos. Eles, os pais esperançosos, naquele aeroporto, naquele dia, foram denominados de “sem nome”. Há outra forma que poderíamos chamá-los?

Na Bíblia, livro santo, repleto de gente como a gente, conhecemos personagens que tem muito que dizer para todos nós. Um deles é Jó, que perde todos os seus filhos em um grave acidente, e depois de passar pelo vale do sofrimento, é chamado por Deus de servo fiel. O que chora agora tem nome.

Deus, nome sem igual, é chamado de Senhor, Pai, Maravilhoso, Poderoso, Rei e muitos outros nomes que exaltam sua Glória e Majestade. Mas, Ele também é um “sem nome”. Deus sentiu a sua dor meu querido(a). E a sentiu por você. Deus é um Deus que está contigo. Ele caminha, se alegra e chora contigo, porque Ele é o Deus que perdeu o filho amado. Ele sentiu as mesmas dores. Ele é o médico dos médicos. Médico que sofreu todos sofrimentos, doenças, e as chagas que sofremos. Sentiu até a “dor sem nome”. Quando receita um medicamento é porque já experimentou a dor e o remédio. E o remédio é o amor. Ame a Deus, sobre todas as coisas. Ame o próximo como a ti mesmo. Não andeis de cabeça baixa, tu não és um ser esquecido por Deus. Foi por ti, que Jesus morreu. A experiência de dor do Senhor faz calar todo rumor de rebeldia e indignação, pois o Senhor “Sem Nome” está chorando contigo sua dor, e está cuidando, lado a lado, de muitos que não vemos. E estes muitos, sentem o cheiro do Paizinho que está nos céus. Não choram, não perdem, não sentem dor, não mais se fatigam. Estão com Deus. Temos certeza que Seu amor incondicional nos levará além do que vemos e do que somos. E a perda de quem nós amamos, será a certeza, que Deus cuida de nós. A Fé e o amor que habitam em nós, em nosso Senhor Jesus Cristo, nos dão a certeza que teremos um nome nos céus e na terra, seremos chamados por Deus de servos bons e fiéis.

Oração: Dá-me forças Pai para entender o que não entendo. Para crer que tens preparado para mim um nome sem igual. Serei chamado por ti de homem fiel.