O Limite da Perversidade

E Jetro disse: Bendito seja o SENHOR, que vos livrou das mãos dos egípcios e da mão de Faraó; que livrou a este povo de debaixo da mão dos egípcios”(Exôdo 18:10)

Assisti recentemente a um documentário que apresentava provas da travessia do Mar Vermelho pelos hebreus na fuga do Egito. A preocupação do autor do filme era mostrar ser plenamente possível ter acontecido o milagre contado no livro de Gênesis. A fuga só foi possível porque Deus fez o possível. Há muita preocupação em explicar o possível de Deus.

Recebi ontem uma apresentação em slides com fotos de uma mutilação. Uma pequena criança, um menino pobre, doce inocente e indefeso; tão sozinho perdia definitivamente o uso de um de seus braços. Um homem segurava o braço do pequeno inocente para que as rodas de um carro passsassem por cima dele. Que dor terrivel o seu rosto transmitia. Tudo em nome da moral, da ética, da lei, da justiça e da religião do homem. Aquele pequeno menino chorou copiosamente a dor de perder o seu braço e a sua identidade. Se tornará, a partir daquele momento um exemplo vivo de alguém que não se pode confiar, deve-se evitar, longe de todos para sempre deve caminar; sem ninguém para abraçar, conviver, respeitar, ajudar, levantar. Há pouca pouca preocupação em explicar o possível do homem. O autor da apresentação chamou-a de O limite da Perversidade.

As mãos de Deus são justas e nelas encontramos paz. Assim, aquilo que parece ser impossível nas mãos dEle acontece. Não desejo explicar o que é estar nas mãos do Pai ou como o impossível se faz possivel. Não desejo explicar o possível de Deus. Entretanto, é bastante saber que não há limites para suas ações quando nos ama. Assim, não desejo viver na mãos de homens nem nas minhas próprias mãos eu quero estar, pois sei o quanto são perversas.

Jetro louva a Deus por Ele tê-los livrado da pesada e perversa mão da escravidão no Egito. Louve e adore a Deus por estar nas mãos daquele que não se limita a te amar. Aquele que não destruirá suas braços e pernas, mas que enviou seu filho amado para ser morto por mim e por ti. Deus que não tem limites em nos abençoar. Vivas nas mãos de quem te libertará e te abençoará rica e abundantemente. Aquele que te dá a identidade de filho amado. “Assim, ajuntou José muitíssimo cereal, como a areia do mar, até perder a conta, porque ia além das medidas”(Gênesis 41.49).

Oração: Pai, te amo, pois sei que me fizeste livre. Me deste o teu perdão e me amas profundamente. Fiques comigo, para que se um dia eu passar no caminho da perversidade, tu estejas comigo, e me livres até de mim mesmo. Faze-me repetir em alta voz e em testemunho vivo: “NÃO VIVO MAIS EU, MAS CRISTO VIVE EM MIM”.