Agora Entendo o Beija-Flor – A face do Pai de toda armadura

Quando saí de casa aos 21 anos para servir o Exercito Brasileiro como Oficial temporário minha mãe escreveu uma carta para mim que foi inclusive inserida no Jornal Batista, em 31 de maio de 1987, e na revista Visão Missionária. Sempre tive vontade e o desejo de responder aquela carta. Sempre me senti aquém das promessas e conselhos de minha mãe. Ela confiava tanto no Senhor e em suas promessas, mas se preocupava com o meu futuro, por isso escreveu-me com todo amor. Acredito que é uma carta de todos os pais, para todos os filhos. Veja se tenho razão:

Recife, 28 de Janeiro de 1987
Rubinho:
Deus te abençoe.
Foste o segundo filho que eu trouxe ao mundo. Com a mesma alegria, ansiedade e amor do primeiro, te recebi. Como eras lindo! E pensar que fui a mãe escolhida por Deus para zelar e cuidar de ti! Deus me confiou você querido. Alimentei-te com cuidado. Vesti-te com carinho. Disciplinei-te com amor. Tomei conta de ti com zelo e carinho. Preocupei-me contigo todas as horas, quer fosse dia ou noite, acordado ou dormindo. Eduquei-te para que um dia fosses um homem de Deus. Ensinei-te (não como era meu desejo e dever) o caminho seguro onde deverias andar quando fosses homem. Ensinei-te a amar, louvar e temer a Deus, pois “o temor do Senhor é o principio da sabedoria” e anelava que fosses sábio principalmente no Senhor. Dei-te, portanto com todo o amor o preparo o possível para enfrentares a vida tudo com a ajuda de Deus e de teu pai que muitíssimo contribuiu para todas as coisas na vida. Sei que a responsabilidade não foi cumprida com perfeição, mas, aí estás meu filho, um oficial do Exercito Brasileiro e partes de teu lar, lar que foi a tua segurança durante 20 anos, 09 meses e 29 dias. Partes para servir a Pátria. Irás enfrentar a vida. Sozinho, não estarás porque Deus estará contigo sempre. Sei que sabes como te comportar, e com isso não me preocupo. Lembra-te apenas que, antes de seres oficial do Exército Brasileiro és um soldado da Pátria Celestial, o maior exército do mundo, o Exército do Grande Rei. Nesse Exército precisarás estar mais que alerta, conhecedor exímio das astutas ciladas do inimigo. Por nada no mundo te descuide, e estejas sempre alerta. “Tome toda a armadura de Deus, para que possas resistir ao dia mau e, havendo feito tudo, permanecer firme. Estejas, pois, firme, tendo cingido o lombo com a verdade, e vestido a COURAÇA da justiça, e CALÇADOS os pés com a preparação do evangelho da paz, tomando sobretudo, o ESCUDO da fé, com o qual poderás apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tome também o CAPACETE da salvação e a ESPADA do Espírito que é a Palavra de Deus, com toda a oração e súplica orando em todo tempo no Espírito e, para o mesmo fim vigiando com toda a perseverança e súplica…” Efésios 6:1-17b. Esta é a vestimenta mais poderosa e protetora que deves usar querido filho e assim estarás seguro e protegido. Em breve terás também o teu lar. Não te esqueças de dar a primazia a quem de direito, pertence a Deus. Que seja Ele, o cabeça do teu lar. O hospede bem-vindo em todas as horas. Vigia constante de teu lar. Protetor infalível de tua vida. Não te esqueças do dízimo que é sagrado. Lembra-te dos ensinamentos de teu pai. Sei que não esqueces.
Abaixo de Deus podes contar com tua mãe, teu pai e teus irmãos que também sentirão a tua ausência.
Não deixarei nunca de preocupar-me contigo. Um pedaço de mim estará contigo. Não terei sempre aqueles momentos em que conversávamos, trocávamos idéias e dava-te conselhos. Não terei o teu cuidado para comigo procurando ajudar-me sempre que podias. Tudo aquilo que eu fizer em casa, sempre farei lembrando de ti, principalmente as refeições, pois dizias sempre: “que comida gostosa”. Quando sairmos para igreja, ou a um passeio me lembrarei de ti, pois sempre saiamos juntos. Toda a família. Lembrar-me-ei das tantas vezes que me beijavas e dizias: “Te amo”. Recordações agradáveis que estarão sempre comigo meu filho. Eu te amo muito. Só me resta o consolo, e saber que estás feliz. Continuarás enchendo o nosso lar de alegrias e bênçãos. A Bíblia diz: “Os filhos são herança da parte do Senhor” e eu não poderia receber herança maior que essa que foi você e seus dois irmãos. Três bênçãos que encheram nossas vidas de alegrias, que deram significado a nossa união. Nosso lar sempre será feliz, pois temos vocês. Mesmo distante estarás conosco.
Com grande amor.
Mamãe – Isolina Ferreira de Freitas


Sempre tive o desejo de responder a esta carta. Minha mãe não está mais conosco para ler minha resposta. Mas, creio que ela adoraria saber que ando nos caminhos do Senhor. Essa é uma carta que merece resposta. Melhor seria se respondesse com a minha vida. Ao ler a carta de minha mãe penso o quanto ela me amava. É natural que um filho saia de casa. Não é natural que saia de qualquer jeito e sem amor. Desta carta eu louvo a Deus por 04 coisas. Primeiro: Louvo a Deus por uma mãe que me amava. Segundo: Louvo a Deus por uma mãe que me aconselhava. Terceiro: louvo a Deus por minha mãe ter mostrado como devo me portar. Quarto: louvo a Deus por uma mãe que me apresentou ao pai de toda a minha armadura.

Pai de minha armadura é o nosso Senhor Jesus. Foram meus pais que me apresentaram a Ele. Estive face a face com Ele quando li esta carta. Foi Ele que me deu a armadura para vencer o mundo, e as suas aflições, seus medos, suas armadilhas, enganos, tristezas, ciladas e as perdas. Meu pai de toda a armadura oferece a todos nós a oportunidade de fazermos o certo. Desejas ser um filho justo e justificado? Vista a couraça da Justiça de Deus. Pretende andar com Deus, em paz com Ele? Calce os pés com os calçados da preparação do Evangelho da Paz. Tens medo das setas do inimigo? Tens pavor da morte? Proteja-se com o escudo da Fé. Tome também o capacete da salvação e a Espada do Espírito.

Sabe o que mais dói neste momento? É saber que apesar dos conselhos do Pai em minha mãe, eu andei tantas vezes somente de short e de camiseta pisando na bola, errando o alvo, errando feio. Tudo porque não estava vestido corretamente. Se me atingiram setas, e não foram poucas, foi porque não estava vestido adequadamente. Não estava preparado. Se chorei ou se perdi foi porque baixei a guarda. Joguei o meu escudo para o lado. Como um motociclista irresponsável, andei sem o capacete por ruas escuras e cheias de enganos. Perdi tempo andando de pés descalços, em terreno perigoso e pedregoso, quando tinha um caminho bom e verdadeiro a seguir e as sandálias do Senhor para vestir. Errei por não ler a Palavra de Deus. Não meditar em suas palavras e não vivê-la diariamente. Cometi o erro de não alegrar o Espírito Santo. Enganei-me ao não me lembrar da carta de minha mãe. Vacilei por esquecer o Pai de toda a minha armadura. Aquele que me faz forte, sendo eu fraco. Agora eu sei que nunca mais estarei sem ela, a armadura que Deus nos deu, a armadura que minha mãe me apresentou, a armadura do Pai de toda minha salvação. Pois sei que pelas suas pisaduras fomos sarados. Sei que: tudo posso naquele que me fortalece. Sei que nada sou sem Ele. Sei que Ele me ama. Sei que nunca mais viverei sem o seu amor. Como dizem no Exercito: “estou coberto e abrigado” pelo amor do Pai. Hoje, não posso dizer a minha mãe que ela estava certa. Mas, digo ao Pai de toda minha armadura: Tu estavas certo. Seguro e protegido, estarei sempre contigo. O melhor é ser um soldado da Pátria Celestial. Verei minha mãe no céu, o lindo céu.

Se passardes por perdas, esteja vestido com a armadura do amor do Pai. Esperança, fé, paz, conforto, salvação, renovo e alegria Ele te dará. E nada, nada te atingirá.

** Do Livro Agora Entendo o Beija-Flor **
** Todos os direitos reservados **